Música- Beyoncé- A experiência- Parte II

     Depois que voltei do banheiro e vi o grupo do Senhor do Bonfim pronto para a balada, resolvi que não adiantava nada tentar usar os sapatos, uma vez que além de molhados já haviam detonado com meus pés. Assim, dei uma de Ivete e fiquei com os pés no chão.
     Como eu e o Vinicius já sabíamos que o lanche natural no estágio era caríssimo, tiramos da bolsa o que havíamos comprado pelo centro. Claro que o pobre do lanche também havia sofrido com a chuva. Resumindo, eu estava com fome, sede, cansada e o povo ainda querendo fazer ola! Jesus, o show tinha que ser bom! E ainda tinha a possibilidade de atrasado por causa da chuva. Mas não é que contrariando as expectativas a Dona Ivete apareceu às 07h50min? Ninguém estava esperando. Menos ainda pelo tombo que ela levou logo no começo do show. Hilário vê-la com a bunda no chão! Mais engraçado ainda foi seu comentário, já que o escorregão a fazia uma Diva, pois tanto Madonna como a Beyoncé também já haviam escorregado.
     Na verdade nunca fui muito fã da Ivete, gostava da Banda Eva e nem eu mesma sei o motivo. Pois não é que a mulher sabe mesmo cantar, pular e animar? Quando dei por mim o estádio todo estava gritando o nome da Ivete, inclusive eu e o Vinícius que gritava “Ivete” com o sotaque de um bom baiano, (“Ivete” e não “Iveti” [1]). O show dourou menos de 1 hora por causa da chuva, eles ainda precisavam secar todo o palco para a entrada da Beyoncé. A musa baiana cantou algumas canções da Banda Eva, as suas músicas mais famosas (Poeira, Festa, etc), cantou também Tim Maia e Jorge Ben. Fez gracinha o tempo todo, dizendo que era amiga de infância de Beyoncé, que inclusive se lembrava dela lá no Juazeiro do Norte, disse também que havia pousado em Marte [2] e que os homens verdes a ajudaram sair do helicóptero.
     Ivete entrou como uma boba que cai no palco e saiu de fato como uma Diva. Nessa hora eu pensei, acho que está começando a valer a pena, mas ainda tínhamos que esperar por mais de uma 1 hora para o show da minha verdadeira musa.
     O público já estava impaciente com a demora. Já passavam das 10h16min quando o Vinicius anunciou que o atraso ultrapassava o de Florianópolis. No entanto, a Diva finalmente entrou. O melhor foi que, com meu binóculo de 10 reais comprado na fila do Morumbi, eu a vi chegar ao palco antes das cortinas se abrirem! É óbvio que ela estava MARA! O barulho foi ensurdecedor! Não escutava nada além dos gritos histérico da platéia. Foi de arrepiar. Logo de cara ela dançou, pulou e rasgou elogios ao nosso pais. Eu sei, eles fazem isso sempre, mas ainda sim foi maravilhoso.
     Beyoncé cantou suas músicas atuais, mas também as mais antigas da época do trio das Destiny's Child. Inovadora, seu palco não havia uma passarela, mas sim um mini palco no meio da área vip da pista. Sabem como ela chegava até lá? Passando pela multidão! Que ódio de ser pobre nessa hora! Quem pagou os 600 reais pode vê-la muito de perto. Só havia um cordão e um monte de seguranças que a separavam da aglomeração, dava para tocá-la, coisa que muitos fizeram. Beyoncé, sempre simpática, permitiu que o público se aproximasse. Que ódio da pista!
     Durante todo o show a platéia pulou e cantou. Até mesmo nas músicas menos conhecidas, dava para escutar os ecos da platéia cantando. Sem palavras. Mesmo o show não tendo a mesma estrutura de sua turnê nos Estados Unidos eu não pude me arrepender. Só fiquei chateada pelo fato dela não ter cantado de verdade Deja vu, a minha prefirida. Apenas citou os primeiros versos na abertura. Foi um show inesquecível. Faria tudo de novo, tomaria toda a chuva novamente. Nem me incomodei pelo fato de não ter pés ao final do show, inclusive de não tê-los até agora, nem pelo fato de ter me perdido do Vinicius na saída, andado por quase meia hora para voltar e ainda ter esperado mais 1 hora o meu namorado finalmente chegar, por causa do trânsito, para enfim, chegar em casa. Valeu mesmo a pena? Ah se valeu.....


Michele Lima


[1] Não vou colocar símbolo fonético, quem tiver dúvida pergunte ao Vinicius nos comentários.
[2] É claro que tive que explicar a piada para o Vinícius que apesar de morar perto do Campo de Marte, base do exercício, não entendeu o trocadilho Marte e homens verdes (a roupa do exército).

Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
5 Comentários
5 comentar
avatar

Muito bom e completo o relatório do show! E que bom que não choveu durante as apresentações. Estimo melhoras a seus pés.

Responder
avatar

Estou esperando que eles não morram de vez! Giovi, viu a prova do líder? chorei de rir com o Dourado!

Responder
avatar

Meu parecer do show: Os dois shows (da Ivete e o da Beyoncé) foram de fato muito bons. Ivete fez bem ao escolher as músicas mais conhecidas de seu repertório e até hits alheios. Acho que até quem não gosta de sua música concorda que seu carisma é inegável. Beyoncé deu um show típico de 1º Mundo, realmente inesquecível, valeu cada centavo. O palco extra sem passarela foi o ponto alto. Minhas únicas críticas são o fato de ela se ausentar com muita frequência do show para as trocas de roupa e de cantar apenas pequenos trechos da maioria das músicas, inclusive grandes hits, como a Michele já citou. Porém, no conjunto, foi um show sensacional, ainda não consigo tirar as performances da cabeça. Beyoncé é Irreplaceable! You go B!

Responder
avatar

Michele, vc fez um post sobre antes do show e um sobre durante o show, mas o pós-show também daria muito o que falar (multidão em caos, carros policiais, gente se perdendo, gente transando no carro, Francisco Morato com trânsito de Hora do Rush ás 2 da madrugada etc etc etc).

Responder
avatar

Vc tem toda razão Vinicius, vc não se anima a fazer um?

Responder