Noite em casa

Eu sou a Lenda

Eu sou a lenda é estrelado por Will Smith e já teve duas versões anteriores. A Warner Bros começou a desenvolver o filme em 1994 e vários atores e diretores foram anexados ao projeto, mas a produção foi atrasada por conta do orçamento, voltando a ser filmado em 2006, na cidade de Nova York. É lá que está a cena mais longa (na Ponte do Brooklyn) já filmada na cidade e custou 5 milhões de dólares! Quando o filme saiu já em 2007, fui vê-lo no cinema e adorei! Bom, eu gosto muito de ficção científica e acho que o filme mescla muito bem a ficção e o suspense. Sem falar na boa atuação de Will Smith. Pra quem não conhece a história, o protagonista é um virologista imune a um vírus criado para curar o câncer. No entanto, o vírus se espalha transformando as pessoas em zumbis. Nevill o único habitante da cidade, busca encontrar a cura, enquanto precisa lutar por sua sobrevivência. Duração: 101 minutos.


Ponto de vista

Confesso, fique tentada em assistir a Matthew Fox em outro papel que não fosse o Jack de Lost. Conheço o ator desde a época do Quinteto, mas faz tanto tempo que ele vive como Jack que queria vê-lo fazer outra coisa. O filme não foi um sucesso de bilheteria, mas nem tudo que fracassa em Hollywood deve ser considerado ruim. Acredito que talvez os tantos retornos da história sob a perspectiva de tantos personagens fez com que bons atores tivessem seus minutos de tela diminuído. Sigourney Weaver quase não aparece no filme. Apesar disso, achei a idéia bem interessante do ponto de vista cinematográfico, pois o diretor Pete Travis, faz com que o telespectador construa a história aos poucos, junto com o mocinho Dennis Quaid. A cada passo andado, o filme para e volta para mostrar a perspectiva de um personagem e assim depois de 90 minutos chegamos ao seu desfecho e descobrimos quem tentou matar o presidente americano. Não aconselho para aqueles que estiverem sem paciência ou de TPM, mas é um bom filme. Duração: 90 minutos.



Efeito Borboleta



Este é aquele filme que a gente aluga pensando uma coisa e é outra. Como Ashton Kutcher sempre faz comédia ou comédia romântica é difícil pensá-lo em um papel mais dramático. O nome do filme se refere a um termo usado em várias áreas científicas para denominar a Teoria do caos, ou seja, que um simples bater de asas de uma borboleta poderia mudar o rumo natural das coisas e provocar um tufão do outro lado do mundo. É mais ou menos sobre isso que o filme trata. Evan é um rapaz que descobre que tem a capacidade de viajar no tempo através de sua mente, porém cada vez que tenta modificar o passado em benefício próprio, mesmo que seja uma mudança bem simples, coisas ruins acontecem no seu presente. Duração:113 minutos.


No Ambulatório TV, a enfermeira mais famosa da Net, a enfermeira Gi, faz uma brilhante resenha sobre o filme Uma prova de amor. Estou criando coragem para assistir, mas quem quiser saber sobre o filme e só dar uma passadinha por lá.

Michele Lima

Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
2 Comentários
2 comentar
avatar

Ótimas dicas, Mi. Só vi o "Efeito borboleta" e gostei muito. Pretendo assistir aos demais em breve.

Responder
avatar

Gostei muito desse filme.

Responder