Noite em casa

O melhor amigo da noiva

Como o mês de maio é o mês das noivas, uma indicação de filme de noiva não poderia faltar. Como já disse antes, comédia romântica é sempre comédia romântica e O melhor amigo da noiva tem todos os requisitos do gênero. Tom (Patrick Dempsey) e Hannah (Michelle Monaghan) são grandes amigos já há muitos anos, perfeitos um para o outro, mas nunca se arriscaram a namorar para não perder a amizade. Até o dia em que Hannah precisa viajar por algumas semanas e Tom, sozinho, percebe que está totalmente apaixonado por ela. Alguém vai dizer: eu já vi isso. E viu mesmo, como por exemplo, em o Casamento do Meu Melhor Amigo. A diferença é que Tom está mais envolvido no casamento de Hannah do que gostaria e tem que até discutir com as madrinhas detalhes sobre a cerimônia do casamento. O filme é bem light, mas dá pra dar umas boas risadas e algumas suspiradas. Duração: 101 minutos



Peixe grande e suas histórias maravilhosas

Nesse filme você tem que simplesmente aceitar que nele tudo é possível. Não adianta tentar separar o que real e o que é imaginação. Aceite a mistura e aproveite. Somente muito tempo depois de ver ao filme foi que descobrir que era de Tim Burton (eu sei, ando muito Burton ultimamente). O filme tem luz! O que geralmente não acontece com os filmes do diretor. E além da luz, os figurinos possuem cores, vivas e alegres! Will Bloom (Billy Crudup) é filho de Edward Blomm (Albert Finney), um homem bastante carismático. No entanto, o filho o acusa de ser um mentiroso compulsivo. Tudo isso porque Will passou toda a sua vida ouvindo as histórias fantasiosas (ou não) de seu pai. São “causos” que envolvem uma cidade perdida, circos, gigantes, uma bruxa que prevê o futuro, a guerra da Coréia, um peixe grande, entre outras coisas. Como Edward está doente, Will vai visitar o pai e à medida que ambos refletem sobre suas vidas, vamos entrando em histórias fantásticas, pinceladas com drama, humor e romance. O filme não foi muito comentando na época de sua estréia e até hoje não entendo bem os motivos. O fato é que Peixe grande e suas histórias  possui um ótimo enredo e uma boa fotografia. Duração: 125 minutos



Lie to me

Semana passada indiquei a primeira temporada de Grey’s Anatomy e hoje indico a primeira temporada de Lie to me. A série poderia até ser considerada do mesmo estilo que CSI, a diferença é que Cal Lightman (Tim Roth) e sua equipe não trabalham da mesma forma que os detetives: eles desvendam os casos detectando os sentimentos pelas expressões corporais e faciais. Outra diferença bastante considerável em relação às séries policiais é que Lie to me aborda todo tipo de ocorrência. Cal possui uma empresa privada e dessa forma aceita qualquer tipo de caso e assim os telespectadores não precisam ser atropelados por um monte de histórias de assassinatos. A série mais parece o jogo do detetive e nós telespectadores ficamos viciados em descobrir quem está mentindo. Assim como em todas as séries, a vida pessoal de cada personagem é mostrada e por vezes entrelaçada nos casos. Lie to me além de nos divertir, nos ensinas algumas técnicas de expressões corporais e o mais engraçado: por diversas vezes usam fotos de pessoas famosas para comprovar suas teorias. Duração: 13 episódios



Não recomendo: Os fantasmas de Scrooge

Mesmo não sendo Natal, semana passada tive a infeliz idéia de ver a esse filme. Como o elenco é formado por bons atores: Jim Carrey, Gary Oldman, Colin Firth, achei que fosse valer a pena assisti-lo. Doce, ou melhor, amarga ilusão. Adoro animação e nos quesito efeitos especiais o filme ganharia nota 10. O enredo é antigo, é baseado no conto de Charles Dickens que fala sobre um velhinho avarento, mas que na véspera de Natal recebe a visita de três espíritos (o do passado, o do presente e do futuro). Sinceramente, eu acho que devemos dar um tempo nessa história, já chega de Charles Dickens! No entanto, o pior de tudo é o exagero na dramatização. O espírito do presente tem uma risada extremamente ridícula que não sei bem se Jim Carrey queria ser engraçado ou tentar colocar algum medo. Enfim, o drama é exagerado, a história está saturada e o tempo de telas dos bons atores (Gary Oldman e Colin Firth) é curtíssimo. Simplesmente não me agradou. Duração: 96 minutos

Michele Lima

Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
0 Comentários
0 comentar