Clássicos da TV Brasileira - O mundo de Beakman


Eu simplesmente adorava O mundo de Beakman! É verdade que o personagem do ratinho, o Lester, era muito chato, mas o programa de modo geral era muito criativo e divertido.

Claro que é um clássico da TV cultura, pois acima de qualquer coisa o programa era educativo. O Professor Beakman, o americano Paul Zaloom, mais parecia uma versão aloprada de Einstein. A cada programa o professor lia as cartas dos telespectadores, fictícios, e de acordo com as perguntas, fazia algumas experiências. Tudo de modo bastante claro, ensinando um pouco de física, química e biologia. Ao final de cada programa, Beakman realizava algum desafio. Na época, aos meus olhos, parecia até mágica.

Além do próprio Beakman e de seu rato Lester, outros personagens apareciam como suas assistentes Josie, Lisa e Phoebe. Cada uma em temporadas diferentes. O próprio ator Paul Zaloom também interpretava seu próprio irmão, o Homem equilíbrio, entre outros. Personalidades famosas do mundo da ciência também apareciam explicando suas invenções. No entanto, os meus personagens preferidos eram os pingüins que apareciam no começo e no final do programa. Acho que O mundo de Beakman foi um dos primeiros programas a perceber o carisma dos pingüins.


Alguns episódios ficaram na memória como no dia em que Beakman explora o interior do nariz humano. Super nojento, mas muito engraçado. Aliás, foi durante um episódio do programa que aprendi a diferença entre trovão e relâmpago e ouvi pela primeira vez falarem sobre a camada de ozônio.

Ao contrário do que muitos pensam, O mundo de Beakman não era um programa realmente infantil, pois para entender suas explicações e experiências os telespectadores precisavam saber alguma coisa sobre o assunto. Às vezes Beakman falava de conteúdos de Ensino Médio, o que poderia deixar os mais novos, como era o meu caso, um tanto perdidos.

Desde 2002 a TV Cultura deixou de passara série, quem sabe rola uma reprise qualquer dia desses?

    

Michele Lima

Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
7 Comentários
7 comentar
avatar

Que saudades do Mundo de Beakman! Lembro-me, com riqueza de detalhes, do episódio em que Beakman recriou com gosmas de todos os tipos o interior de um nariz. Era uma espécie de tubo com uma geleia verde muito nojenta.

Mi, parabéns! Recordar é viver!

Responder
avatar

Marcelito!!!! Que bom que vc gostou!! Obrigada pelo comentário!

Responder
avatar

Eu não perdia um episódio do Beakman! Aprendi com ele o que é a inércia! Creio que com uns 9 anos!
Nossa, lembro-me de assistir diariamente a uma sequência de programas na Cultura, acho que das 18h às 20h, que era: "As aventuras de Babar" (o elefante), "Castelo Rá-Tim-Bum", "Doug" e "O mundo de Beakman".
Bons tempos...

Responder
avatar

Eu não sei o que meus filhos estavam fazendo na época, mas esta série eu não vi, que pena! bjs

Responder
avatar

Eu também adorava o Beakman. O programa era tão popular que na escola muita gente me chamava de Beakman, não por causa das minhas habilidades nas aulas de Ciência, mas por causa do meu cabelo.

Amava aquela introdução no começo de cada programa: "É ele, o astro do seu show, as estrelas da sua constelação, o ponto de interrogação das suas perguntas ooooooo Beakman!".

Um programa inteligente como esse ter ficado tão popular é a prova de que a televisão não precisa emburrecer pessoas pra conseguir audiência.

Responder
Este comentário foi removido pelo autor. - Hapus
avatar

Puxa Mamis, que pena mesmo, era uma ótima série!

Giovi, nunca vi "As aventuras de Babar"!!!!!!!

Vinicius, concordo plenamente com vc.

Responder