Noite em Casa - O Livro de Eli



Com cenários e figurinos muito parecidos com Mad Max, O livro de Eli mostra um mundo pós-apocalíptico. A solidão de Eli (Denzel Washington) no começo do filme me fez lembrar Eu sou a lenda, as cenas de lutas e o sol ofuscante lembram demais o filme Eclispe Mortal. No entanto, apesar dessas comparações o filme é único, pois jamais vi uma história que tem a bíblia como ponto central não ser um apelativo religioso. Embora o mocinho tenha fé e o vilão seja um ditador, o que está em jogo, mais do que a fé, é o poder que ela traz a quem a controla.

Eli vaga pelo mundo rumo ao oeste e em suas andanças acaba parando em uma cidade controlada por Carnegie (Gary Oldman), que coincidentemente está a procura pelo livro que Eli carrega consigo. É importante ressaltar que o protagonista não é exatamente um herói ou um profeta. Dificilmente entra numa briga para salvar alguém, até mesmo quando se trata de um estupro. Porém, quando conhece Solara (Mila Kunis), enteada de Carnegie, Eli passa a ter um perfil de quase herói.

O mundo é repleto por selvagens, como a água é escassa, todos se parecem com mendigos, com a exceção dos mais próximos de Carnegie, que controla a água da cidade. A pobreza é tanta que não há mais dinheiro, a comida é pouca, os lábios das pessoas estão secos e rachados, pois o calor é intenso. Tudo por conta de uma guerra que abriu um buraco no céu e fez com que muitos fossem queimados pelo sol. Ao que parece, a guerra foi por motivos religiosos, já que logo após o seu término, as bíblias foram queimadas, restando apenas uma.


O filme mostra com clareza o quanto atualmente desperdiçamos coisas de suma importância e que isso no futuro pode nos fazer muita falta. Coisas simples como jogar comida fora, passar horas no banho, etc. Nesse mundo pós-apocalíptico, um simples tempero de comida e um pequeno pote de shampoo são bens em extinção. A escassez é tanta que o ser humano se tornou canibal e eu só fui entender isso quando Eli e Solara encontram um casal de velhinhos canibais.

Carnegie quer a bíblia por conta do poder que ela tem, segundo ele, o livro é uma arma que controla os fracos e desesperados. Com ela, ele poderia dominar muitas cidades. Em contrapartida, tudo que Eli mais quer é levar a bíblia para um local seguro. Já nos primeiros 15 minutos do filme presenciamos luta e muito sangue. Tudo muito bem editado e coreografado.

Os atores principais estão excelentes, Gary Oldaman e Denzel Washington mais uma vez arrasam. É incrível a expressão de medo e descrença que Denzel passa quando seu personagem finalmente é baleado. Sem contar que o final é surpreendente!

Uma pena que o filme não tenha tido muito sucesso, mas acredito que é mais um daqueles que só depois de muito tempo as pessoas vão perceber seu valor. Duração: 115 minutos

    

Michele Lima

Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
6 Comentários
6 comentar
avatar

eu preciso de tempo, tow trabalhando muito e cheia de livros , filmes pra conferir ... e esse está na lista kkkk

Responder
avatar

Gostei muito deste filme, principalmente porque só entendi a situação de Eli no final do filme, mas eu sou lenta mesmo, kkkk. bjs

Responder
avatar

Eu tb Mamis kkkkkkkk, por isso achei surpreendente o final!

Responder
avatar

QUERO MUITO ASSISTIR ESSE FILME MI, DEPOIS DE SUA RESENHA FIQUEI MAIS INTERESSADA AINDA, ADORO O DENZEL.

Responder
avatar

eu qro ver esse filme...varios conhecidos me disseram pra ver esse filme....entao ja to providenciando um tempo na minha agenda pra assistir....

Responder