O Castelo Animado

O Castelo Animado (2004) é uma adaptação do romance de fantasia da escritora britânica Diana Wynne Jones, tendo Hayao Miyazaki (de A viagem de Chihiro) como roteirista e diretor. Tudo começa com a chegada de um castelo muito estranho, na verdade nem se parece um castelo e sim uma bugiganga, na cidade de Sophie, uma moça bem simples que trabalha na chapelaria de seu falecido pai.


Com a chegada do castelo, que pertence a um poderoso feiticeiro, Howl, a cidade que já estava agitada por conta da guerra, fica eufórica. A única que não dá bola para isso é Sophie. Porém, ao caminhar pelas ruas, dois guardas tentam assediá-la e a protagonista é salva pelo temido feiticeiro. A partir disso, a vida da pobre Sophie muda completamente. Howl é perseguido por muita gente, todos os reis querem sua ajuda, uma feiticeira poderosa o quer como aliado e uma bruxa egoísta quer roubar seu coração. Por ciúmes e por pura maldade, a bruxa joga um feitiço logo no começo do filme em Sophie. Deste ponto em diante, passamos a ver a bela protagonista transformada em uma senhora de quase 90 anos. Como se não bastasse a maldição, Sophie não pode contar a ninguém o que está acontecendo com ela.

Dessa forma, a protagonista abandona sua casa em busca de alguém que possa reverter o feitiço, caminhando pelas Terras Abandonadas e com a ajuda de um simpático espantalho, Sophie encontra o castelo animado de Howl. O castelo é movido por um simpático demônio do fogo, Calcifer, que tem uma relação profunda com o feiticeiro. Eles não vivem sozinhos, tem a companhia de um garotinho aprendiz, Markl. A senhorinha de quase 90 anos mostra bastante energia, tornando-se faxineira do local e pouco a pouco se torna parte daquela pequena família maluca. A relação de Howl com ela é linda, pois Sophie continua sendo uma mulher incrível, apensar de sua aparência.


O enredo tem algumas reviravoltas na história, mostrando que nem todos que são ruins são verdadeiramente os vilões. Aliás, se um existe um vilão neste filme é a guerra! Uma inteligente crítica à guerra é feita por Hayao Miyazaki, sem apelação, de maneira clara e objetiva. Entretanto, não é só no enredo que Miyazaki se supera, o filme foi praticamente feito todo à mão por ele! Mais uma prova que essa história de 3D e computação gráfica não faz de um filme uma arte melhor.

O Castelo Animado me parece um novo tipo de contos de fadas, mostrando redenção, perdão, a importância da liberdade e que ser velho pode ser apenas um detalhe. Lindo filme, com romance, fantasia e aventura, ótima fotografia; uma animação para adultos e crianças! Pena que o público não está tão acostumado com obras deste porte! Duração: 119 minutos
     Trailer, infelizmente, sem legenda
    

Michele Lima


Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
3 Comentários
3 comentar
avatar

Este filme é mesmo incrível! Mereceu o Oscar de melhor animação que ganhou em 2004, deixando as produções hollywoodianas comendo pueira. Acho que nunca vi uma animação com personagens tão incríveis e bem trabalhados.

Responder
avatar

Realmente o enredo parece ser ótimo, quero assistir!

Responder