Noite em casa - Chico Xavier - Filmes

Noite em casa- Chico Xavier - O filme

Antes de tudo, já começo essa resenha esclarecendo que não sou espírita e que assisti ao filme por pura curiosidade.

Baseado na biografia do jornalista Marcel Souto Maior, “As Muitas Vidas de Chico Xavier”, a história começa com Chico em um programa super conhecido na década de 70: o “Pinga Fogo” que passava na TV Tupi, em que o médium foi sabatinado por vários jornalistas que queriam desmascará-lo. Orlando (Toni Ramos) é o diretor de TV do programa, que perdeu seu filho em um acidente com uma arma. Sua esposa (Christiane Torloni) havia visitado uma das sessões de Chico e recebido uma carta dele psicografada. Porém, Orlando é totalmente descrente e mesmo estando no mesmo ambiente que Chico, ignora por completo seu mito. No entanto, a trama de Orlando é secundária, pois “Pinga Fogo” apenas serve como base para os flashbacks que ocorrem para mostrar a vida do médium. De qualquer forma, juro que tive vontade de acompanhar as perguntas que eram feitas no programa.

Chico perde sua mãe ainda criança e passa a morar com sua madrinha (Giulia Gam). Indo em contra aos contos de Fadas, a madrinha de Chico era uma verdadeira bruxa má, mas seu pai se casa novamente e Chico passa a ter uma nova mãe: uma madrasta (Giovanna Antonelli) que era uma verdadeira fada.

Noite em casa- Chico Xavier - O filme

Depois da fase da infância, o filme mostra sua adolescência e o começo de sua relação com seu guia espiritual Emmanuel (André Dias). Particularmente o meu personagem preferido no filme, pois não apresenta nenhum estereótipo de anjo da guarda, com a exceção das roupas brancas. Por exemplo, quando Chico está no avião e acha que vai morrer, fazendo com que o passageiro ao lado também ache, afinal se o médium diz que vai morrer é porque o avião realmente vai cair, a figura de Emannuel aparece para Chico. Emmanuel o critica por gritar, dizendo que muita gente correr risco de vida no mundo, que isso não era um privilégio dele e que se, por acaso, ele realmente achasse que fosse morrer que morresse com educação, sem gritar! Digamos que o guia era ótimo para dar sermão, daqueles que deixa a outra pessoa sem argumento.

Durante o tempo todo, enquanto viveu na cidade pequena de Pedro Leopoldo no interior de Minas Gerais, Chico enfrentou a ignorância de uma cidade pequena que achava que os espíritos eram coisas do demônio. Além disso, teve que aguentar os problemas familiares e as dificuldades que passava por conta de seu dom; quando começou a psicografar, por exemplo, Chico sofria muito fisicamente.

Interpretado por três atores distintos, Matheus Souza na infância, Ângelo Antônio na adolescência e Nelson Xavier na fase adulta, Chico Xavier é mostrado de modo desmitificado, um homem que por trás de seu dom também tinhas seus defeitos e vaidades. Mesmo para quem não é espírita, a biografia emociona, pois deixando de lado a religiosidade, o filme é uma história de vida de um ilustre brasileiro que todos deveriam conhecer. Duração: 124 minutos

    

Michele Lima

Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
1 Comentários
1 comentar
avatar

Eu assisti o filme e gostei muito tb! Emannuel é ótimo e os três atores que fazem o Chixo estão ótimos tb!

Responder