Clássicos da TV Brasileira - Rá-Tim-Bum


 Sei que para alguns o “Castelo Rá-Tim-Bum” marcou a infância mais do que o programa Rá-Tim-Bum, mas no meu caso quando “O Castelo” foi ao ar pela primeira vez, eu já estava na minha quase pré-adolescência (10 anos) então, teoricamente, a minha infância foi realmente marcada pelo Rá-Tim-Bum!

O programa ficou no ar pela TV cultura de 1989 até 1992 e depois por muitos anos foi reprisado. Com direção de Fernando Meireles, “Rá-Tim-Bum” tinha atores hoje super conhecidos como Marcelo Taz, Grace Gianoukas (da peça “Terça Insana”), Carlos Moreno (do comercial do Bombril), entre outros.

O estilo do programa foi inovador na época, apresentando vários quadros educativos, não tratando a criança como um ser ignorante. Alguns quadros eram bem conhecidos das crianças como: “Senta que lá vem história”, “Máscara” (quadro que mostrava um detetive atrapalhado), “O Jornal da criança”, “Nina” (quadro que mostrava uma criança e sua boneca chamada Careca), “Professor Tibúrcio” (com Marcelo Taz), “A família Teodoro”, “Esfinge” (com vários enigmas), “Professor Miguilim”, “Mímica”, “Porquinhos”, “Euclides e Silvia”, entre outros.

       

O meu quadro preferido era o do “Máscara”, mas adorava ver a abertura do “Senta que lá vem história”, me identificava com o menino no sofá porque assistia ao programa enquanto minha mãe limpava a casa, dessa forma, ela não me deixava sair do sofá e tinha que ficar igual ao garoto da abertura!

       

Falando em aberturas, até o hoje a abertura do “Rá-Tim-Bum” é uma das mais criativas da televisão brasileira.

       

Por ser um programa inovador, por ter marcado a minha infância, por ter ganhado vários prêmios e por ter sido reprisado por tantos anos, “Rá-Tim-Bum é um dos maiores clássicos infantis da televisão brasileira!

Michele Lima


Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
8 Comentários
8 comentar
avatar

Com toda certeza!!! Eu também era e sou louca por esse programa até hoje sento com a pirralhada e assisto... É incrivelmente bem feito, inteligente e tudo o mais!!!!

Responder
avatar

"Rá-Tim-Bum" era muito bom, mesmo! Lembro dos quadros até hoje e a abertura era realmente sensasional!
Lendo sua resenha, veio à minha memória a máxima: "A criança não é idiota".

Responder
avatar

* errata: sensacional

sorry, tô "cas vista baraiada" de tanto estudar...

Responder
avatar

Eu curtia mais mesmo o "Castelo Rá-Tim-Bum", mas também assisti ao "Rá-Tim-Bum" quando reprisou e gostava bastante da Nina, que depois virou empregada em Rei do Gado.

Ah, uma curiosidade. Em uma das versões desse clipe dos porquinhos no banheiro aparecia várias crianças nuas, uma delas é meu amigo Marcelo, estudante de literatura e que reside atualmente em Israel.

Responder
avatar

Sim, Giovi: criança não é idiota!rsrsrsrsrs

Pandora, mais uma vez, obrigada pelo comentário!

Vinicus, ainda me impressiono com a sua imaginação!

Responder
avatar

Que saudades dos velhos e bons tempos...
Abraços

Responder
avatar

Mi, eu tb me impressiono com a imaginação do Vinicius...

A Mamma Bruschetta, quando homem, participava do Rá-tim-Bum, né? Naquele quadro em que um disco voador sobrevoava a cidade e procurava coisas, tipo, "precisamos achar uma coisa vermelha".

Responder
avatar

A Mamma Bruschetta, quando homem, também participou de uma das histórias do "Senta que lá vem história" na qual fazia um cozinheiro... e isso não é coisa da minha imaginação.

Responder