Clássicos da TV Brasileira - Armação Ilimitada


Para falar bem a verdade, eu não consigo me lembrar de todos os episódios de “Armação Ilimitada”, mas a série ficou na minha memória como algo muito divertido e com bastante ação. O programa era exibido todas às sextas-feiras, entre 1985 e 1988 e fazia parte da programação “Sexta Super” da Rede Globo. Porém, no último ano, a série teve alguns episódios no “Sessão Aventura”, durantes as tardes da Globo.

Com direção de Daniel Filho, o seriado tinha como protagonistas dois amigos, Juba (Kadu Moliterno) e Lula (André de Biase), que viviam juntos na Zona Sul do Rio de Janeiro e que tinham uma pequena empresa de prestação de serviços, a “Armação Ilimitada”. Esportes comuns e também radicais faziam parte das atividades da dupla, assim como ser dublês de filmes de ação. Zelda Scott (Andréa Beltrão) era a estagiária do jornal “Correio do Crepúsculo” (sem o Edward) e era caso amoroso de Juba e Lula, formando um triângulo nunca solucionado, já que Zelda não via nenhum problema em ter dois namorados! Algo bem surpreendente para a TV da época. Também havia o personagem Bacana (Jonas Torres), que era um órfão bem esperto que sempre ajudava Juba e Lula

“Armação Ilimitada” inovou em diversos aspectos, tanto no texto quanto na parte técnica. Os episódios eram narrados por Black Boy (Nara Gil), além do DJ que tocava músicas, que também narrava e comentava as tramas, num cenário de estúdio radiofônico.

Um dos motivos para me lembrar da série é que depois de seu término ela foi reprisada várias vezes, tanto que em 1997, quando a Globo perdeu os direitos dos jogos de futebol para o SBT (isso um dia aconteceu!), preencheu as tardes de domingo com reprises de programas antigos; em 2005, comemorando os 40 anos da Rede Globo, a série também foi reprisada no Multishow.

De um modo geral “Armação Ilimitada” conquistou o público principalmente pelos personagens cativantes de Juba, Lula, Zelda e Bacana. Lembro que eu torcia para Zelda ficar com o Lula e não com o Juba!

Por mesclar humor, ação e romance, a série realmente inovou no formato de séries da Rede Globo, ficando na memória de muita gente!

         

Michele Lima

Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
5 Comentários
5 comentar
avatar

oieee, mi!! quando vejo gossip girl, com a garota do blog narrando, lembro muito da narradora (tudo bem que era mais irritante) da armação ilimitada, tipo rádio ... eu comprei a série e estou revendo, é muito legal, faz lembrar muitas coisas da época, da vida ... série é tipo perfume e música, faz lembrar de várias coisas

Responder
avatar

Gi!! Vc tem um monte de séries legais, né? Lembro que gostava bastante de Armação Ilimitada, mas gostaria de rever a série, pq não lembro de tudo! E concordo com vc, série é igual a música e a perfume, qdo a gente assiste lembra de um monte de coisas!

Responder
avatar

Passando pela rpiemira vez e gostando muito...

Responder
avatar

Inesquecível! Inevitavlmente, eu acho que Aline (seriado atual da Globo) pode ser a intenção de uma versão paulistana da Armação. Se for, eu penso que não está dando muito certo. Mas isso é um achismo meu, o fato é que a Armação Ilimitada marcou uma época mesmo. Seu blog é maravilhoso. Beijos da Lu.

Responder
avatar

Marisa e Luciana voltem sempre que quiser!

Ah, Luciana é verdade, Aline tenta ser igual a Zelda, mas não chega nem perto dela, né?

Responder