Noite em Casa - Robin Hood


Eu disse que "Robin Hood" sem Kevin Costner não era a mesma coisa e de fato não é. Porém, isso não quer dizer que o filme seja ruim, como eu achava que era, só é apenas diferente.

Ridley Scott colocou como protagonista mais uma vez o ator Russell Crowe, provavelmente com a esperança de repetir o mesmo sucesso de “Gladiador” (2000), algo que não acontece, apesar de achar que o filme de modo geral é bom.

Dessa vez o Robin Hood de Ridley Scott é um guerreiro e arqueiro, aliado da Inglaterra e do Rei. A história mostrada parte do inicio da vida de Hood, ou seja, antes dele se tornar uma lenda. Talvez seja exatamente esse o motivo do filme não ter agradado a muitos, que esperavam assistir ao lendário ladrão que assaltava os ricos para dar aos pobres.

O filme começa durante as cruzadas, com a Inglaterra falida e que ao precisar de dinheiro começa a cobrar impostos absurdos de sua população. Robin é Robin Longstride (Russel Crowe), um arqueiro inglês que tem a missão de entregar a Sir Walter Loxley (Max von Sydow) a espada de seu filho morto. Em terras de Nottingham, Robin recebe uma grande proposta de Loxley: fingir ser seu filho morto para que assim, sua nora, Lady Marion (Cate Blanchett), possa ficar com as terras quando ele morrer. Claro que Robin aceita a proposta e é claro que ele se envolve amorosamente com Lady Marion, ainda que a moça faça jogo duro o tempo inteiro.

Entretanto, apesar de agora ser rico, Robin precisa enfrentar as exigências do Rei que não deixa quase nada para ninguém. Além disso, a França ameaça invadir a Inglaterra e o covarde Rei vai precisar da ajuda de todos os barões da Inglaterra, inclusive de Robin.

O filme mostra uma realeza podre, preocupada apenas com seus bens em contraste com a pobreza das pessoas. O enredo é repleto de tramoias e algumas reviravoltas, mas as coincidências são um tanto exageradas, enfraquecendo o filme. No entanto, mesmo assim eu gostei dessa nova versão, já que podemos entender o que leva Robin Hood a ser tornar um “fora da lei”, a origem dos órfãos e os motivos de todos eles viverem na floresta.

Acredito que o filme agrade mais aos que gostam da história do lendário arqueiro inglês e a todos aqueles que gostam de um bom filme com lutas de espadas, caso contrário você poderá achar o filme apenas passável. Duração: 140 minutos

Michele Lima


Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
2 Comentários
2 comentar
avatar

Este eu ainda não vi e também não sei se vou ver, rsrsrs

Responder
avatar

Daqui a pouco passa no Telecine Mamis, se não é que já está passando! rsrsrsrs

Responder