Noite em Casa - Café com Amor




Há décadas estou querendo assistir a esse filme, mas aqui no Brasil demorou para estrear! Até pela internet estava difícil de assistir! Mas finalmente consegui ver o novo trabalho de Jennifer Love Hewitt.

Eu gosto da Jennifer Love Hewitt desde “O quinteto” e quando ninguém mais assistia “Ghost Whisperer” eu estava lá firme e forte suportando os últimos episódios. Por isso fiz questão de assistir ao “Café com amor”, que é um filme independente que se concentra em um único cenário, a cafeteria.

Tudo começa de maneira enigmática, com vários policiais entrando no café e em seguida o som de tiros. Depois o filme volta uma semana antes do ocorrido e começamos a ser apresentados aos personagens. Claire trabalha no café junto com Todd. É evidente que Todd é apaixonado pela moça e ela é aquela típica personagem mulher de malandro. Além dos protagonistas, o filme também mostra outros personagens importantes para a trama, um traficante (Kennedy, mesmo ator que trabalhou com Jennifer em “Ghost Whisperer”), um viciado, um policial, um romancista, um homem casado que se envolve com outra mulher e um nerd que vê uma garota que diz ter criado aquele mundo.


Pelo título eu pensei que “Café com amor” fosse um filme estilo sessão da tarde, que contasse casos amorosos numa linha mais leve, mas o enredo não se concentra exclusivamente nas paixões dos personagens e brinca com “Mundo de Sofia”, em que personagens descobrem que são fictícios, mas que possuem um livro arbítrio, posto no software que o criou. Ou seja, “Café com Amor” trata mais de ficção do que se pode esperar de um filme com esse título. Por isso, acho que algumas pessoas podem se decepcionar com a história, por estarem desavisadas. No entanto, a linha light segue todo o enredo que acaba sendo mais misterioso do que romântico e possui mudança repentina bem malucas!.

Particularmente achei a filosofia discutida bem bobinha e acredito que muitos não irão gostar do filme, mas de qualquer forma “Café com amor” me surpreendeu ao mostrar personagens clichês em uma história cheia de reviravoltas. Duração: 95 minutos.

Michele Lima

Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
6 Comentários
6 comentar
avatar

Eu gosto dela também. Vc lembra dela em mudança de hábito? ela estava bem novinha. Eu não costumo acompanhar séries, mas sempre via um capitulo ou outro de vez em quando de ghost whisperer. Boa Páscoa bjins!

Responder
avatar

Aleska!! É claro que lembro!!! Super novinha mesmo!!!!!Muito bem lembrado!

Responder
avatar

Eu gostava da Sandy quando tinha 10 anos, quem tem um lado intelectual aos 10 anos?

Responder
avatar

Nisso eu também concordo. Eu tenho um amigo que fez letras e tem toda uma filosofia lá de q o artista tem que sofrer pela sua obra, fazer várais vezes a mesma página até estar super bem escrita. Pra mim o que importa é o que a história deixa pra pessoa. Eu até gosto de alguns livros da época do Romantismo, tipo 5 minutos e a viuvinha, mas porque o fim é feliz kkk Lucíola é muito trágico para mim. O conteúdo devia ter um peso também. esse negócio de só a forma é a maior palhaçada.

Responder