Noite em casa - A partida



O meu amigo Cris me indica músicas e filmes maravilhosos, o mais recente foi o drama japonês dirigido por Yojiro Takita e ganhador do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2009, chamado “A Partida”. O filme conta a história de Daigo Kobayashi (Masahiro Motoki), um talentoso violoncelista que perde seu importante emprego numa orquestra, desiludido se vê obrigado a voltar à sua cidade natal pra recomeçar novamente sua vida. Porém, o único trabalho que ele nem imaginava encontrar foi o de preparador de defuntos, uma profissão que sofre certo preconceito, mas precisando do emprego se vê obrigado a aceitar e com vergonha da nova profissão, tenta esconder o que faz da esposa e dos amigos.

Mesmo sofrendo por considerar seu serviço como algo desprezível, Daigo se vê obrigado a ir em frente com sua nova profissão. Mas o fato que nos surpreende na funerária que Daigo trabalha é de não ser um serviço que estamos acostumados a ver normalmente, no entanto, só assistindo pra entender que não se trata de um serviço qualquer de necrotério. Tudo se dá quando os parentes da pessoa morta contrata os serviços da funerária e no início do emprego Daigo só observa e faz o trabalho de ajudante, mas um dia se vê obrigado a realizar sozinho a cerimônia de preparação de um cadáver, o diferencial do serviço é que a mesma é feita diante dos familiares e tudo é feito com muito delicadeza e tudo se torna lindo. No entanto só vendo pra entender, senão fica parecendo que é tudo muito mórbido. E em meio a tudo, ele ainda precisa resolver alguns fatos de seu passado que insistem em persegui-lo.



O filme nos traz vários questionamentos sobre a morte, pois cada religião, cada cultura a encara de uma maneira diferente. O jeito como Daigo se vê “obrigado” a tratar os mortos o fez perceber que sua profissão é muito importante e que ele pode de alguma forma trazer certo conforto pra família entre outros valores, que modifica também o modo de pensar de sua família.

Um belo filme que fala de morte, mas também de vida em meio a muita poesia e delicadeza. Recomendadíssimo!Duração: 130 minutos

Elda Rodrigues

Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
5 Comentários
5 comentar
avatar

Eldinha, o filme parece ser muito legal e vc sabe, eu adoro coisas orientais!!!

Responder
avatar

É lindo, eu também ando assistindo muitos filmes orientais, tenho mais 1 na lista.

Responder
avatar

Eu sou do Clube da Mi, amo cultura oriental e a temática então! Não sei se porque cresci enfrentando as diversas fazes do luto dos meus pais ou porque é Maio e maio sempre me faz lembrar do quanto é pesado superar a perda de um ente querido, mas achei super legal a proposta desse filme!

Responder
avatar

Tb achei legal Jaci! Depois de assistir me conta se gostou!

Responder
avatar

Parece ser bonito e um pouco engraçado. Normalmente nao gosto mt de filmes japoneses, porque a lógica é mt oriental, mas esse parece atraente.

Responder