Noite em Casa - Capitão América: O primeiro Vingador


O Capitão América sempre foi um dos heróis que menos gostei da Marvel, mas sempre tive curiosidade de entender sua história e vi em seu último filme, dirigido por Joe Johnston, uma grande oportunidade. Até mesmo porque quero ver “Os Vingadores” e já que comecei essa saga de ver os filmes dos heróis antes de assisti-lo, não poderia deixar de lado o primeiro herói da Marvel, o “Capitão América”.

O começo do filme me lembrou um pouco as aventuras dos filmes de Steven Spielberg, mas as características da Marvel estavam presentes com referências às outras histórias (o pai do Homem de Ferro, por exemplo, aparece!) e nos apresentando a um protagonista com todos os pós e contras de ser um super-herói! Steve Rogers (Chris Evans) é um rapaz cheio de problemas de saúde, mas que gostaria muito de entrar para o exército americano durante o período da Segunda Guerra Mundial, mas por conta de sua saúde não consegue. Steve se impressiona bastante com o horror causado pelos nazistas na Europa e assim, não desiste de seu sonho de integrar o exército americano. Um dia, em uma feira, Steves encontra o Dr. Abraham Erskine (Stanley Tucci), que encantado com seu esforço, o oferece uma grande oportunidade: fazer parte de uma experiência que o mudará para sempre.

A Operação Renascimento faz com que Steves passe por um experimento sob o comando do general Chester Phillips (Tommy Lee Jones) e do Dr. Abraham Erskine. Devo dizer que muita gente gostaria de tomar aquele soro e ficar cheio de músculos como Steves em um só minuto! E assim, como um passe de mágica, o rapaz debilitado se transforma em super-herói! Porém, nem tudo são flores, pois, além de estar em plena Segunda Guerra Mundial, Steven precisa se preocupar com um grande inimigo, o Caveira Vermelha (Hugo Weaving), alguém que antes dele provou o soro quando este ainda não estava pronto.

Capitão América nunca foi meu favorito por mostrar um patriotismo exagerado, sem falar na pura contradição de ter um herói que sonha em ir para guerra, mas afirma que não quer matar! No entanto, deixando isso de lado, o filme me agradou e me divertiu. A parte do romance ficou por conta da relação entre Steven e Peggy Carter (Hayley Atwell), mas é fraco, aliás, como em quase todos os romances da Marvel. Já a parte cômica fica pela interpretação de Tommy Lee Jones com algumas piadas e confesso que achei engraçado como Steven se veste pela primeira vez de Capitão América.

De todas as formas, acho que o filme cumpre com seu papel em mostrar a história de um dos mais clássicos heróis dos quadrinhos e quem gosta de ação e aventura não pode deixar de assistir ao “Capitão América”!

Michele Lima

Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
9 Comentários
9 comentar
avatar

eu achei bonitinho esse filme, mas os vingadores foi mais engraçado.

Responder
avatar

Alê quero muito ver Os Vingadores!!!!

Responder
avatar

Eu acho o Capitão América um fofo!!!! Meio ingenuo é verdade, mas super fofo!!! Tenho um carinho por ele por isso sou meio parcial na analise e as vezes tenho do dele pq passa a impressão que ele é sempre manipulado!!!

Responder
avatar

Alê... Rum... Demorei um tempo para perceber que é tu Aleska!

Responder
avatar

Opa, opa , opa, não é que é mesmo a Aleska! E eu não sabia! Me enganou direitinho! rsrsrsrs

Responder
avatar

De fato ele é fácil de se manipular e eu tenho pena dele por ver as pessoas envelhecerem e ele não, mas continuo acho que tem patriotismo exagerado....

Responder
avatar

Eu também tinha um pézinho atrás com ele, mas eu me apaixonei depois da propaganda que a Jaci fez e o fato dele odiar os nazistas. Eu vi os vingadores antes de tudo. E agora vou ver um por um deles. Eu fiz o contrário de você. Depois de tudo eu passei a achar o Capitão um fofo, mas o amor da minha vida com certeza é o Hulk e o Homem de Ferro sou eu em versão masculina. Fato!

Responder
avatar

Michele,
seja bem vinda lá em casa. Gostei da sua resenha do filme, mas não gostava dele nem nos gibi que eu lia a décadas atrás, risos
abs
Jussara

Responder
avatar

Oi Jussara, obrigada! Eu adorei seu blog!

Responder