Noite em Casa - A fonte das mulheres


O filme “A Fonte das Mulheres” (La Source des Femmes) é dirigido por Radu Mihaileanu e conta a história de vida das mulheres de um vilarejo que segue a risca os mandamentos da religião islâmica. As mulheres são responsáveis por diversos afazeres, inclusive o de levarem água para as famílias, função que exige um grande esforço físico, pois precisam andar muitos quilômetros debaixo de um sol escaldante carregando baldes pesados, enquanto os homens ficam bem descansados em bares, bebendo e conversando alegremente. 

No entanto, tudo muda com a chegada de Leila (Leila Bekthi), que não considera certa essa tradição e resolve questionar o fato com as outras mulheres, que mesmo não considerando correto acabam se acostumando com toda a situação imposta à vida delas. Leila tem outra visão sobre o mundo que a cerca, ela não considera certo as mulheres sofrerem sozinhas para levarem água para o vilarejo, correndo diversos riscos e graves acidentes nas pedras, além disso, muitas até sofreram abortos durante a jornada. Após diversas discussões com as outras mulheres, Leila acredita que só uma greve de sexo fará os homens ajudá-las, algumas concordam e outras consideram tudo um absurdo, mas depois todas chegam a um consenso e resolvem aderir à ideia de Leila. 


Leila teve sorte, casou-se por amor e tem o apoio de seu marido, mas isso não costuma acontecer com as outras mulheres, e depois de começarem a colocar em prática sua ideia, os conflitos começam em toda a aldeia, os homens se revoltam contra as mulheres, e algumas mais tradicionais também, a luta não é fácil, pois muitas são violentadas e apanham de seus maridos. 

Leila é pressionada o tempo todo, enquanto isso, a notícia se espalha por todos os lugares da cidade, as mulheres provocam certa revolução, autoridades são chamadas e consultadas, jornalistas também se interessam em registrar o acontecimento e tudo pode acontecer, pois a luta vai além do que as mulheres poderiam imaginar. 

O filme “A Fonte das Mulheres” é inspirador e mágico, tem leveza, nos faz rir, se divertir e pensar, por isso, me fez perceber que existem diversas armas para lutarmos contra algo que nos oprime. Elas não precisaram usar a violência para se tornarem mais livres. 

PS: É possível ver o filme completo pelo You Tube!

Elda Rodrigues

Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
4 Comentários
4 comentar
avatar

Essa foi uma ótima dica sabia? Fiquei interessada, depois vou assistir. O engraçado dessa história, é que ela é semelhante a uma peça grega de mais de 2mil anos atrás. Acho que o autor se chama Lisístratas. As mulheres tb fazem uma greve de sexo como protesto, só não lembro exatamente pq. Mas na Grécia, só as mulheres pobres e as escravas iam até as fontes da cidade pegar agua. "as bem-nascidas" quase não saiam de casa. mas a semelhança é que os homens tb não ficavam trabalhando normalmente, tinham que ir pra agora discutir a política (ou seja nao faziam nada tb! e desconfio que bebesse tb kkkk)

Responder
avatar

Gente esse filme é ótimo para dar aula!!! Especialmente quando o tema for Islamismo, privilegia o lugar das mulheres e discute preceitos religiosos. E se tem leveza e faz melhor ainda (e tudo que tem sexo no meio atrai adolescente #Fato) rsrsrs...

Adorei, coloquei na lista de possíveis materiais didáticos!!!

Responder
avatar

Nossa, me interessei muito pelo filme. Adoro esse tipo de filme no qual pessoas conseguem dar a volta por cima e lutar contra a opressão, contra injustiças de uma maneira geral. Sem dúvida, são filmes que nos inspiram e nos põem a refletir.

Gostei bastante da dica!
Vou baixar o filme! =D

Sacudindo Palavras

Responder
avatar

Meninas, eu tb adorei a indicação do Elda, assim que eu tiver tempo eu vou assistir no YouTube!

Responder