O que eu escutava nos anos 90 - Gabriel, o pensador


Antes que algum fã venha me detonar, desde logo eu já confesso que não sou uma fã incondicional do Gabriel! Não porque eu não goste dele, porque eu até gosto, é só porque não tive a oportunidade de conhecer todo o seu trabalho! 

Gabriel, o pensador, surgiu nas rádios brasileiras em 1993 quando estourou com o single "Lôrabúrra" - puro bullying e é por isso que eu amo a década de 90, já que se fosse hoje Gabriel já teria sido censurado e taxado de preconceituoso. Depois de falar das loiras, no mesmo álbum Gabriel tratou da vida dos playboys em “Retrato de um Playboy” e também fez sucesso com "175 Nada Especial".


 Em 1994, em seu segundo álbum, Gabriel lançou mais uma polêmica com a música "Estudo Errado", o que levou professores e educadores a protestarem; pura babaquice! Em 1997, Gabriel voltou com mais um álbum com excelentes músicas tais como "2345meia78", "Cachimbo da Paz" (também super polêmico) com a participação de Lulu Santos, "Festa da Música" e "Eu e a Tábua" com Evandro Mesquita. No total, o cantor possui 6 álbuns e ganhou ao longo da carreira vários prêmios! 

O que eu mais gosto do Gabriel, o pensador, é que suas músicas são engraçadas, jovens, ao mesmo tempo sérias e que nos fazem pensar! Não é toa que ele tenha feito tanto sucesso, já que Gabriel além de compositor é escritor e ativista social! Pena que nunca mais emplacou nada, talvez porque agora a garotada prefira músicas mais “coloridas”, sertanejos com periguetes e carros importados! Uma lástima! 


PS: "2345meia78" marcou a minha adolescência principalmente porque tinha um amigo na escola com apelido de Ganso, claro que todos cantavam “afogar o ganso” pra ele e o melhor é que ele nem ligava, achava tudo engraçado. 

Michele Lima

Blogueira, tradutora, revisora, redatora, professora e pau pra toda obra. contato: michele_silvalima
@yahoo.com.br

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
10 Comentários
10 comentar
avatar

Aqui em casa eu e Júnior gostamos até hoje de ouvi Gabriel.

Claro que também não ultra fã, acho que só ouvi as músicas dele quando passavam na televisão, mas depois de velha, com o advento do pc cheguei a baixar algumas ai juntou com as que Júnior baixou e vez ou outra continuamos ouvindo.

Responder
avatar

Jaci eu também gosto ás vezes de escutá-lo e principalmente ver seus clipes!

Responder
avatar

rss tb não sou fã exatamente dele, mas concordo qdo vc diz que ele é um ótimo compositor. Não acho que o loira burra seja bulliyng ele fez uma crítica a cultura das loiras, e do corpo. Era uma época que pra ser bonita todas queriam ser loiras e se preocupavam muito pouco com o intelecto. Outro dia eu estava escrevendo um trabalho sobre educação brasileira e vi essa musica do Gabriel num texto, como frase de abertura. Acho que influenciou mt os debates.

Responder
avatar

Tb não acho que seja bullying Aleska, mas hoje em dia alguém diria que é!

Responder
avatar

Sempre gostei do Gabriel suas músicas me faziam pensar, desde a 8ª séria a disciplina de Sociologia abriu minha mente, claro que foi o início e na época eu o ouvia muito, ele cantava com muita facilidade assuntos importantes. Infelizmente existe um empobrecimento musical muito grande no Brasil.Dá medo!!!!
Atualmente o Gabriel sofreria represália pela música loira burra. Mundando um pouco de assunto...
O mais engraçado é que estava comentando no curso de formação que antes as crianças cantavam a música "atirei o pau no gato" e comentamos que não pensávamos em judiar do gato por causa dela e hoje em dia mudaram a letra tradicional, só falta mudar a canoa virou...
O povo estudou e complicou tudo!!!!!

Responder
avatar

Como assim "Atirei o pau no gato" mudou? Que é isso? Agora a gente não pode nem cantar direito na escola?

Responder
avatar

O politicamente correto: "Não atire o pau no gato, porque isso não se faz, o gatinho é nosso amigo, não podemos maltratar o animais.... jamais."
Mas as crianças preferem a versão tradicional, quer termina em "miau" e eu também. Eu sempre amei roda cantada e sempre gostei de animais, como gato e cachorro, jamais os maltrataria. Cada ideia...

Responder
avatar

Elda, eu me recusava a cantar essa versão na creche, a professora regente da sala ficava puta de raiva... kkkkk... Sei que algumas atitudes preconceituosas precisam ser questionadas e tudo e tal, não sou contra o politicamente correto, mas sei lá, o Atirei o pal no gato é clássico poxa!!!

Responder
avatar

Olá

Eu gostava muito de ouvir o Gabriel, O Pensador e a canção 2345meia78 era das minhas músicas favoritas. :)

Obrigada pela visita e pelo comentário. :)

Uma boa noite e um beijo,

Cris Henriques

http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com/

Responder
avatar

Oi Cris, essa tb era uma das minhas preferidas!!

Bjs

Responder