Fuller House



No momento que eu soube que a Netflix ia proporcionar uma nova série para Full House, já me bateu uma grande nostalgia, mas não estava preparada para Fuller House, que me tocou desde o primeiro episódio, quando a família canta o tema dos The Flintstones em volta do berço do bebê, exatamente como fizeram na primeira série! Foi lindo de ver!

Fuller House mostra os nossos personagens queridos de Full House, conhecida no Brasil como Três é Demais, anos depois do fim da série. Agora DJ (Candace Cameron Bure), Steph (Jodie Sweetin) e Kimmy (Andrea Barber) estão adultas e passam a viver juntas! A premissa é a mesma da série anterior, só que se antes a gente tinha três homens cuidando das crianças, agora a gente tem as mães solteiras. A exemplo de Joey Gladstone (Dave Coulier) que não teve filhos na série, Steph é a tia solteira sem filhos. E se DJ continua sendo a mais responsável, Kimmy continua maluca como sempre foi!


DJ perdeu o marido e agora tem três filhos para criar e vai contar com a ajuda de Kimmy, sua melhor amiga, que também tem uma filha, Ramona (Soni Nicole Bringas) e Steph que resolve ficar com a irmã para ajudá-la. Muito se falou da ausência das gêmeas Olsen, que faziam a personagem Michelle, mas elas não fizeram falta. Pelo contrário, a série soube usar muito bem a ausência da personagem para fazer piada com as Olsen! Numa espécie de piada interna que todo mundo entendia muito bem!

Temos a participação dos personagens mais antigos como Danny (Bob Saget), Tio Jesse (John Stamos que continua muito lindo), Rebecca (Lori Loughlin) e Joey Gladstone (Dave Coulier)! E se em Full House o roteiro dava espaço para as crianças em Fuller House não foi diferente. Jackson (Michael Campion) é uma graça, Ramona é a cara da adolescência atual, mas Max (Elias Harger) rouba a cena por diversas vezes! É sem dúvida meu personagem preferido! Bem como Fernando (Juan Pablo Di Pace), ex-marido de Kimmy, que é tão doido quanto ela!


A série aborda questões super atuais como a internet e os adolescentes, a dificuldade em ser mãe solteira, divórcios, entre outras coisas. Algumas pessoas acharam Fuller House fraca, eu achei incrível. Não é uma série para ser a melhor sitcom da atualidade, mas é leve, agradável, divertida e que com certeza nos ajuda a nos distrair depois de um dia cheio. E quando a gente termina, é inevitável não sorrir!

Michele Lima
Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »
Comentários
4 Comentários
4 comentar
avatar

É uma pena, mas tô no time dos que não curtiram muito a série :( não que seja fraca, tá dentro dos parâmetros pra comédia, e provavelmente exatamente por isso não me conquistou, as risadas forçadas e tal sempre me incomodam, e pelo primeiro episódio pelo menos não me conquistou. Mas seu post me convenceu a dar mais uma chance!

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

Responder
avatar

Ahh Carol tenta sim, quem sabe vc gosta! rs

Responder
avatar

Oi Michele!
Quando vi que iam lançar essa série fiquei com altas expectativa, pois eu adorava Full House!
Mas só consegui ver os primeiros 3 episódios, achei as crianças novas muito chatas... Sei lá, não consegui simpatizar com os novos personagens.

Beijos,
Sora - Meu Jardim de Livros

Responder
avatar

Oie Michele =)

Como não cheguei a assistir a primeira edição da série não me animei em ver essa nova edição. Acredito que para os fãs antigos a volta de Full House foi um presentão da Netflix, mas apesar de sempre ouvir falar muito bem da série, ela continha não me chamando muito atenção.

Beijos;***

Ane Reis.
mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
@mydearlibrary

Responder